Empresas e memes - Quando o imediatismo atrapalha
Imagem Senhora

01 out Empresas e memes – Quando o imediatismo atrapalha

 

Hoje, existe um certo imediatismo do profissional de social media para ser o primeiro: o primeiro a ter a ideia, o primeiro a entrar numa rede social que saiu ontem, o primeiro a usar o meme do dia com um cliente, mesmo sem pensar que a ~zoeira~ pode causar danos à marca. E é esse caso que vamos discutir.

Memes são basicamente imagens, vídeos, frases que surgem na internet de forma espontânea ou até planejada, podendo ser aplicados em situações cotidianas, piadas esporádicas e na geração de conteúdo, tanto de usuários, como é o caso do Twitter, quanto de empresas, que são os casos abaixo.

É um forninho que cai, um Marcos que “tacou le pau” no carrinho, um novo falsete, a meta que não existe, mas que se atingida será dobrada e por aí vai…

Na última semana de setembro, tivemos dois grandes booms na internet que geraram seus respectivos memes, um realmente engraçado e outro um tanto quando constrangedor e certamente desrespeitoso.

“A senhora” – Esse vídeo surgiu de uma reportagem que investigava uma senhora, servidora da Assembleia Legislativa de Goiás, que batia o ponto no trabalho e saia para um rolê. A cena que viralizou foi do momento em que repórter aborda a senhora, questionando-a sobre sua atitude, e a senhora, por sua vez, da no pé, com repórter correndo atrás.  Assista aqui.

A imagem da senhora correndo virou febre no Twitter e posteriormente no Facebook, e gerou verdadeiras pérolas.

Senhora_twitter     12019921_10153266494423720_1658976006248954440_n

 

A nude do Stênio Garcia – No mesmo dia em que a Senhora ganhou a rede, veio a público duas fotos íntimas do ator Stênio Garcia com sua esposa, Marilene Saade. Nesse caso, as piadas foram maldosas, a maioria delas caçoando da situação. Muitos usuários postaram a foto para brincar, e isso é inevitável que aconteça, talvez porque as pessoas não tenham noção de que o vazamento desse tipo de foto seja crime.

Mas o que poderia ser pior que uma pessoa zoando essa situação? Sim, uma empresa!

12079331_1197562920260532_3598310986651839229_n
Reprodução: Facebook.com/cantinadopaulao2

Foi o caso da Cantina do Paulão, que resolveu reproduzir a foto para divulgar uma promoção. Com algumas críticas, a empresa se tocou e posteriormente tirou o post do ar. Entretanto, muitos fãs elogiaram a ideia, o que fez a Cantina postar uma nova brincadeira com a situação, demonstrando uma certa ironia e mais um pouco de desrespeito, no melhor estilo “perco a noção, mas não perco a piada”.

Seja quem for o social media, ele tem um certo apoio da empresa para fazer esse conteúdo, mas ambos deveriam pensar nos danos que essa imagem causa às vítimas, Stênio e Marilene, ou nos danos que poderia causar à empresa, já pensou se eles resolvem processar a Cantina? O Paulão vai ter que trabalhar um bom tempo para pagar o post “engraçadinho”.

Na contramão, e voltando à história da senhora, o cemitério Jardim da Ressurreição, que arrasa no conteúdo, soube aproveitar a piada da vez sem problemas :

12074980_862661400497140_1071409682642290679_n
Reprodução: Facebook.com/cemiteriojardim.ressurreicao
Como as empresas devem se portar, o que é um conteúdo legal, como ser eficaz e inovador sem assumir posições erradas e acabar caindo em problemas no ambiente online? Bom, não existe uma receita, cada caso é único, mas alguns princípios básicos, talvez óbvios, de respeito, direito e cidadania podem nortear as campanhas para evitar esses furos.

Por essas e outras que uma boa curadoria de conteúdo faz diferença pra uma empresa, e a Casa de Imagem oferece esse serviço para redes sociais. Quer saber mais. Entre em contato e converse com a gente!

Comentários

comentários