tsū - a rede social que paga o usuário pelo conteúdo
tsu rede paga o usuário pelo conteúdo

28 out tsū- a rede social que paga o usuário pelo conteúdo

“Ganhe dinheiro na internet” quem nunca viu essa frase pipocando por aí?

Hoje, as redes sociais movimentam milhões com publicidade, não da pra negar, afinal, tem link patrocinado e anúncio em todas. Enquanto Google, Facebook, Instagram e Twitter faturam, as marcas atingem o público com mais e mais e mais propaganda… Mas e o usuário, ganha o que com isso?

Com cada vez mais pessoas produzindo conteúdo na internet, acessando sites e entrando nas redes sociais, é em boa hora que a proposta do tsū ganha popularidade.

A rede social que paga o usuário pelo conteúdo foi criada em outubro de 2014 por Sebastian Sobczak e tem o diferencial de ser uma plataforma de monetização social, em que 90% do faturamento é dividido entre os usuários, e o restante fica para a empresa.

É uma ideia ambiciosa, mas que pode funcionar. Sites de recompensa por participação dos usuários estão aos montes por aí, muitos produtores de conteúdo fazem uma graninha legal com isso, mas a maioria como freela, o que não é o caso do tsū.

Nessa rede social, você não precisa ser uma profissional de publicidade, marketing ou jornalismo para receber pelo seu conteúdo, basta publicar conteúdo original, ou seja, fotos, vídeos, textos e músicas de terceiros não vão te render nada. Justo!

Na plataforma você encontra um menu, com acesso ao banco, para acompanhar seu saldo, e também um sistema de analytics, que você pode analisar quanto cada publicação rendeu, qual atingiu mais pessoas e traçar estratégias para continuar ganhando mais público e dinheiro. No restante, o tsū funciona como suas concorrentes, você posta, os amigos curtem, dá pra seguir empresas, pessoas etc.
tsu-casadeimagem-marketingdigital

 

Para entrar no tsū é preciso ser convidado por algum usuário, e esse usuário é recompensado cada vez que um contato convidado por ele entra na rede social, parecido com uma pirâmide.

Se vai dar certo, se vai render uma grana pra galera, se vai substituir o Facebook, só o tempo dirá. Aliás, parece uma sina, toda rede social que é lançada entra no questionamento “se vai tomar o lugar do Facebook” e um tempo depois elas caem no ostracismo, porque a substituição não acontece. Mundo injusto com as novidades.

Curiosamente o tsū é bloqueado no Facebook, tente compartilhar um link pra ver. Será que isso quer dizer alguma coisa? Será que a estratégia de dividir o lucro com o público pode ameaçar a rede do Tio Zuck?

Para todos os efeitos, a Casa de Imagem já está no tsū, se você também estiver, segue aí.

Comentários

comentários